"Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual porque, sinceramente, sou diferente." (Clarice Lispector)



segunda-feira, 27 de junho de 2011

Singular capricho da natureza!


Flor do Asfalto
(Guilherme de Almeida)

Flor do asfalto, encantada flor de seda,
sugestão de um crepúsculo de outono,
de uma folha que cai, tonta de sono,
riscando a solidão de uma alameda...

Trazes nos olhos a melancolia
das longas perspectivas paralelas,
das avenidas outonais, daquelas
ruas cheias de folhas amarelas
sob um silêncio de tapeçaria...

Em tua voz nervosa tumultua
essa voz de folhagens desbotadas,
quando choram ao longo das calçadas,
simétricas, iguais e abandonadas,
as árvores tristíssimas da rua!

Flor da cidade, em teu perfume existe
Qualquer coisa que lembra folhas mortas,
sombras de pôr de sol, árvores tortas,
pela rua calada em que recortas
tua silhueta extravagante e triste...

Flor de volúpia, flor de mocidade,
teu vulto, penetrante como um gume,
passa e, passando, como que resume
no olhar, na voz, no gesto e no perfume,
a vida singular desta cidade!

Flor, alma feminina, caprichosa, nem sempre nascem onde são plantadas. As minhas florescem no coração e perfumam a alma!
                                                                             By Sol

4 comentários:

meus instantes e momentos disse...

que bom voltar aqui...
Maurizio

José Sousa disse...

Olá querida Sol!
Sempre escrevendo poemas tão seciveis que me alimentão a alma.
Adoro te ler, teus escritos fazem parte do meu mundo.

Um beijo bem carinhoso.

Bandys disse...

Sollllllllll
as suas nascem por onde voce passa!!

E ainda deixa sua luz.

Beyjos lyndona.

VIDA E LIBERDADE disse...

Sol...minha querida e saudosa amiga...
Depois de várias estações meu trem para aqui....mais calmo mais sereno poré muito saudoso de você do seu calor humano dos seus raios brilhantes de sorrisos e alegrias...
Senti muita fala sua....Hoje, um pouco menos ansiosa e bem mais calma...olhei par dentro de mim, e me senti vazia....Vazia de conteúdos aproveitáveis...e resolvi mudar o rumo da história...
Estou aqui...
Vendo a flor do asfalto hoje congelada pelo frio....mas que dentro do meu coração revive lindamente...e procurará sempre um verão, do seu lado... cujos raios da sua alma, aquecerão mais minha vida...para completar minha história transformada...

beijos com muiiiiiiiiiiiiiitas saudades.......

Marilis
(Lilsa)